Crime perfeito

Um crime, ensinar a sua felicidade aos seus filhos. Um crime, ensiná-los mantras de gratidão a tudo. Um crime, mantê-los sob consolo constante.

Um furto, tirar-lhes o direito de notar em si a responsabilidade da própria vida. Um furto, tirar-lhes o direito da autoafirmação. Um furto, tirar-lhes os esbarrões que os delineiam.

Um sequestro, transferi-los do cativeiro do útero para o da proteção eterna – familiar ou divina. Um sequestro, escondê-los de si.

Os culpados, os pais, malocados na alma de suas vítimas, estarão ali protegidos até que estados da maturidade condenem seus feitos. Então, provavelmente sem mais forças ou tempo para outro parto, essas vítimas podem preferir assumir em si um papel de seus próprios criminosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.